Business Intelligence – BI: Tudo o que você precisa saber!

Business Intelligence, conceito e definição

Inteligência Empresarial – Business Intelligence, ou simplesmente BI, é um conceito cunhado em meados de 1989 pelo Gartner Group – Instituto de Pesquisa e Análise do setor de Tecnologia da Informação, que defendera a criação do termo para “abrigar” todas as iniciativas de inteligência.

Business Intelligence, então, é um conceito que define o processo que envolve o uso de tecnologias para coletar, armazenar, analisar e compartilhar as informações que serão bases para a gestão de um negócio.

E, quando falamos sobre informações importantes, que auxiliam na gestão de um negócio, nos referimos à empresa baseada em dados, que usa dados sobre concorrentes, fornecedores, produtos, clientes e potenciais clientes, por exemplo, para auxiliar na tomada de decisão mais assertiva.

 

Business Intelligence – “Guarda-chuva”

O termo Business Intelligence – BI, é amplo e abriga diversos outros termos de inteligência:

  • Competitive Intelligence – Inteligência Competitiva
  • Market Intelligence – Inteligência de Mercado
  • Customer Intelligence – Inteligência de Clientes
  • Sales Intelligence – Inteligência de Vendas
  • Counter Intelligence – Contra Inteligência

 

Competitive Intelligence ou Inteligência Competitiva

São iniciativas de inteligência para analisar a competitividade do negócio. Avaliar, em um panorama mais amplo, onde a empresa se encaixa em comparação as concorrentes. Em resumo, é uma análise que permite comparar o negócio em relação ao mercado.

Market Intelligence – Inteligência de Mercado

São avaliações e comparações realizadas, com base em dados, em determinado mercado ou segmento de negócio para montar panoramas de mercado.

Customer intelligence – inteligência de Clientes

São atividades de inteligência, análise de dados sobre os clientes para se obter insights a fim de elevar-se as vendas, melhorar o processo de entrega dos produtos, trabalhar as reclamações para aperfeiçoar e/ou atendimento, por exemplo.

Sales Intelligence – Inteligência de Vendas

Normalmente, é o objetivo mais comum para se realizar Business Intelligence. São atividades e processos de negócios relacionados a venda.

Monta-se, por exemplo, um sistema de BI que permite analisar todos os dados a fim de obter-se insights de informações relacionadas as atividades comerciais de uma empresa, para alavancar as vendas.

Counter Intelligence – Contra Inteligência

Um pouco incomum no mundo corporativo e pode parecer um pouco filme de espião. Contra inteligência são atividades relacionadas realizadas para anular ou confundir a inteligência dos concorrentes.

 

Evolução do Sistema de BI

Evolução do Business Intelligence ao longo do tempo
Evolução do Business Intelligence ao longo do tempo

Mesmo com as grandes mudanças ao longo do tempo, o conceito continuo o mesmo. Com o tempo, os sistemas de informações sofreram diversas modificações e adaptações para atender as demandas. Sistemas que possuíam a capacidade de seleção de informação, mas com pouca inteligência.

Anos 70 | DSS – Decision Suport Systems

Com os avanços da tecnologia, surge novos formatos de armazenamento: DASD – Direct Access Storage Device e o SGBD – Sistema Gerenciador de Dados.

Criado inicialmente nos anos 1960, o DSS teve seu início prático nos anos 1970. Muito utilizado para apoiar a tomada de decisão, o conceito possuía capacidade limitada e não tinha flexibilidade para customização.

Anos 80 | EIS – Executive Information System

Apenas na década de 1080, o termo Business Intelligence surge e é utilizado para se referir a inteligência no processo de coleta, organização, análise e compartilhamento de dados.

Então, no mesmo ano, com o propósito de simplificar o uso dos DSS’s e trazer informações estratégicas para os analistas e executivos, surge o sistema EIS. Contudo, ainda limitado às tabelas e relatórios pré-programados.

Após visualizar as informações de faturamento total, por exemplo, as quebras só eram possíveis para as informações que estavam pré-formatadas no sistema.

Anos 90 | BI & DW – Business Intelligence & Data Warehouse

Nos anos 1990, o processamento de dados havia sofrido muitas mudanças; as empresas contavam com banco de dados que, por mais que tivessem informações armazenadas, sofriam com a pouca disponibilidade de dados para serem armazenados.

Então, a Tecnologia da Informação evolui a ponto de se criar softwares que fornecem informações mais precisas. Com isso, surge, entre 1992 e 1993, o Data Warehouse – um dos principais componentes do BI atual.

E, após o ano de 1996, o BI se dissemina como processo do Sistema da Informação Executiva – criado pelo MIT, Insituto Tecnológico de Massachussets, no final dos anos 1970.

Atualmente

O sistemas de BI usados atualmente, são derivados dos sistemas de dados antecessores – DSS e EIS. Hoje, o BI passou a ser uma ferramenta integrada à diversas outras ferramentas que estão disponíveis para um número maior de pessoas.

A limitação, hoje, não existe. Veja algumas das possibilidades:

  • Flexibilidade e alta capacidade de customização;
  • Montagem de relatórios e gráficos por qualquer usuário;
  • Ferramentas para todo o ciclo da informação;
  • Diversas ferramentas para uso específicos;
  • Interação intuitiva com o usuário;
  • Painéis analíticos interativos;
  • Resultado compartilhado na internet etc.

 

 

Business Intelligence – Inteligência de Negócio

Business Intelligence pode ser definido como um conjunto de técnicas utilizadas para extrair inteligência a partir de dados sobre um determinado negócio.

Ou…

Segundo o Gartner Group: “Business Intelligence é o processo de transformar dados em informação e, através da descoberta, transformar a informação em conhecimento.”

Business Intelligence é um termo muito amplo. Pode ser usado de diversas maneiras e todas, possivelmente, estarem sendo corretamente empregadas.

O importante é manter o conceito de que BI é, de forma prática e simplificada, uma maneira inteligente de visualizar as informações de um negócio, independentemente das ferramentas utilizadas.

 

Business Intelligence – Propósito

O uso de dados levam a decisões mais assertivas
O uso de dados levam a decisões mais assertivas

O objetivo é converter o volume de dados em informações relevantes ao negócio, através de relatórios analíticos.

O propósito é, sempre, extrair Inteligência dos dados. Quanto maior o volume, menor é a capacidade analítica sobre uma massa de dados.

Por exemplo: Analisar todas as vendas, classificadas por ruas dos seus clientes ou analisar as vendas por bairro da sua cidade.

Seja por ruas ou por bairros, o dado utilizado no processo para a tomada de decisão sempre será uma visão resumida do total das informações disponíveis.

 

Áreas da empresa que usam BI

Áreas da empresa que usam Business Intelligence - BI
Áreas da empresa que usam Business Intelligence – BI

Em que áreas pode ser aplicado o BI? Todas!

Quais níveis hierárquicos? Todos!

Todos os níveis hierárquicos podem ser beneficiados pelo BI. Claro, cada um deles terão um conjunto de ferramentas e informações específicas do departamento/setor.

 

Business Intelligence – Benefícios

Alguns benefícios que podem ser atingidos com a adoção de BI:

  • Maior capacidade de análise do negócio;
  • Fácil acompanhamento dos processos do negócio;
  • Agilidade na montagem de informações;
  • Possibilidade do uso de indicadores de gestão;
  • Padronização do acesso aos dados;
  • Padronização de regras de negócio;
  • Automação de processos de informação;
  • Redução nos ciclos de fechamento, revisão e liberação de informações.

 

Business Intelligence – Em quais processos?

Todo processo de negócio que manipule alguma massa de dados, pode ser utilizado BI. Sejam os processos comuns, como:

  • Compras;
  • Custos;

Ou, processos mais especializados ligados ao diferencial e objetivo final daquela empresa:

  • Pesquisas;
  • Fabricações;
  • Prestação de algum serviço específico etc.

 

1 Administrativos / Financeiros

  • Compras;
  • Pagamentos;
  • Recebimentos;
  • Fluxo de Caixa;
  • Inadimplência;
  • Controle de Custos;
  • Fechamentos;
  • Contabilidade;
  • Estoques e movimentações de materiais;
  • Logística e distribuição.

 

2 Vendas e Faturamento  

  • Volumes de vendas;
  • Análises comparativas;
  • Desempenho de lojas ou filiais;
  • Rankings – melhores ou piores;
  • Lucratividade das vendas;
  • Alocação de receitas.

 

3 Processos Diversos

  • Pesquisas de Dados;
  • Análises comportamentais e de Ambiente;
  • Mineração de Dados – Descoberta de padrões;
  • Estudo para novos produtos;
  • Oportunidades e contenção de perdas;
  • Monitoramentos operacionais.

 

Business Intelligence – Diferentes Aspectos

Como o uso do Business Intelligence é feito em diferentes aspectos dentro de uma empresa.

NÍVEL ESTRATÉGICO

  • Objetivo de Negócio: Novas tendências, análises complexas.
  • Usuários: Analistas, Especialistas e pesquisadores.
  • Período típico de uso: Semanas, meses e/ou anos.
  • Operações padrões com os dados: Agregações, análises estatísticas e análises multidimensionais.

 

NÍVEL TÁTICO

  • Objetivo de Negócio: Objetivos de curto e médio prazos, suportando a estratégia.
  • Usuários: Executivos, Gerente e Analistas.
  • Período típico de uso: Dias ou Semanas
  • Operações padrões com os dados: Dados detalhados e integrados, combinados com histórico.

 

NÍVEL OPERACIONAL

  • Objetivo de Negócio: Operações do Dia-a-Dia ou mesmo semana.
  • Usuários: Coordenadores, pessoal linha de frente, operacionais.
  • Período típico de uso: Intraday, período corrente.
  • Operações padrões com os dados: Dados detalhados e integrados, com histórico curto.

 

Business Intelligence – Principais variações

Os sistemas de Business intelligence podem ter diversas aplicações diferentes:

  • Data Mining – Mineração de Dados;
  • Query Report/AdHoc – Relatórios Variáveis;
  • Operational Reporting – Relatórios Operacionais/Corporativos;
  • Budgeting/Forecasting/Planning – Planejamento;
  • KPI’s – Indicadores de Acompanhamento;
  • BPM’s ou CPM’s – Medidores de Performances;
  • What-if’s – Simulações;
  • DashBoards – Paineis de acompanhamento;
  • Alerts e Notifications – Alertas e notificações.

 

Business Intelligence – Onde é empregado?

A Inteligência de Negócios pode ser aplicada em qualquer área de uma empresa, órgão público, centro de pesquisa ou qualquer organização que possua dados para serem analisados.

ESTRATÉGIA

O que visualizam:

  • Dashboards e KPI’s;
  • BPM’s, CPM’s e EPM ‘s.

 

 ANÁLISE TÁTICAS

O que visualizam:

  • Orçamento e Planejamento;
  • Simulações;
  • Dashboards com KPI’s;
  • Mineração de Dados;
  • Query Report.

 

ANÁLISES OPERACIONAIS

O que visualizam:

  • Query Report;
  • Reports fixos – PDF;
  • Páginas de Intranet;
  • Reports através de e-mails;
  • Telas para interação com os dados.

 

Data Mining – Mineração de Dados

São softwares responsáveis por analisar uma massa de dados, coletando informações sobre seu comportamento. Quando aplicamos a outros dados, podem ser utilizados para determinar comportamentos esperados e análises preditivas.

O processo final do Data Mining pode ser considerado o reconhecimento dos Dados e integração entre as áreas:

  • Estatística;
  • Banco de Dados / Data Warehousing;
  • Inteligência Artificial / Aprendizado de Máquina.

 

E pode ser utilizados para:

  • Análise do Passado – Exploração de Dados
  • Predição do Futuro – Modelos estatísticos

 

Aplicados em situações como:

  • Análise de perfis de informações

Clientes, Colaboradores e Pacientes.

 

  • Investigação e Predição

Análises de comportamentos de fraudes, busca por comportamentos de dados, cenários e projeção de informações.

O Data Mining, ou Mineração de Dados, permite utilizar a estatística junto com as ferramentas de BI para analisar dados e gerar cenários de simulação.

 

Query Report / AdHoc Tool

As ferramentas de query report são as mais utilizadas nos projetos de BI, permitem ao usuário montar suas análises a partir de dados carregados do data warehouse.

Permitem, aos usuários: criar, executar, salvar e exportar seus relatórios. São conhecidas, também, como ferramentas OLAP – para visualização de Dados.

 

OLAP – O que é?

Exemplo de OLTP E OLAP
Exemplo de OLTP E OLAP

Online Analytical Processing, OLAP, pode ser:

  • ROLAP – São consideradas ROLAP quando aplicadas a banco de dados relacionais, como: Oracle, SqlServer, DB2, MySQL entre outros.
  • MOLAP – São consideradas MOLAP quando aplicadas a banco de dados multidimensionais, como Analysis Services (SSAS), Hyperion, Cognos PowerPlay, Oracle OLAP entre outros.
  • HOLAP – As análises podem ser feitas utilizando ROLAP e MOLAP. Com linguagem SQL e MDX. Pode armazenar dados detalhados no relacional e agregados no Multidimensional.

Query Report

As ferramentas de query report são as mais utilizadas nos projetos de BI, permitem ao usuário montar suas análises a partir de dados.

Um bom exemplo de comparação pode ser um Pivot Table do Excel. Ela permite que sejam selecionadas linhas, colunas, filtros, formatações e “pivoteamento” dos dados. Esse tipo de ferramentas oferece uma gama enorme de possiblidades de montagem de relatórios e gráficos, essas geralmente são as ferramentas mais flexíveis e utilizadas pelos projetos de Business Intelligence e Data Warehouse.

  • Utilizadas para montagem de informações e relatórios;
  • Configuração de aletas
  • Montagem de gráficos;
  • Pivoteamento de resultados;
  • Drill Down;
  • Ordenação;
  • Formatações Complexas;
  • Exportações para outros formatos – Excel, PDF etc.

 

Operational Reports

Exemplo de Operational Report
Exemplo de Operational Report

Os relatórios operacionais também podem ser extraídos a partir do Data Warehouse. Geralmente são relatórios corporativos com formatos, padrões e informações pré-definidas. São voltados para o uso não estratégico.

 

What-if – Simulações e Cenários

Ferramentas que analisam uma base de dados e aplicam simulações a essa base, analisando as possibilidade do que aconteceria se determinadas variáveis mudassem.

 

DashBoards / Scorecards / KPIs

São visualizações de alto nível. O detalhe das informações é visto em outras ferramentas de relatórios.

DashBoards

DashBoard
DashBoard

Os DashBoards podem ser orientados por assunto ou departamento, geralmente são acessados via browser. São resumos das informações, o detalhamento estará em outros relatórios.

 

KPI – Key Performance Indicators  

São indicadores de performance utilizados para medir como a empresa está se comportando.

Exemplo de KPIs

 

Douglas Godoi

Formado em Marketing e pós-graduando em Digital Data Marketing – FIAP. É, atualmente, responsável pelo Marketing Digital da Cetax. Também é viciado em café; apaixonado por empreendedorismo; entusiasta de tecnologia, inovação e fotografia.

Please create new and select contact form.